pexels-photo-257344

Tipos de apego: como cada um deles influencia no comportamento do seu filho

217feba4-f88b-4a99-9d58-b323d1e8e2d9
25 ago

Tipos de apego: como cada um deles influencia no comportamento do seu filho

A Teoria do Apego propõe que crianças se apegam instintivamente a quem cuide delas, com a finalidade de sobreviver, incluindo o desenvolvimento físico, social e emocional.A forma que esse apego é estabelecido está diretamente ligado aos comportamentos que essa criança tende a ter na vida adulta. São quatro tipos:

Apego seguro
os pais ou cuidador estão acessíveis às necessidades da criança: quando ela chora ou quer mamar, por exemplo. Esse tipo de apego permite que a criança explore sem medo, porque ela tem suporte para isso. O adulto não faz por ela e não controla aquilo que a criança faz. São crianças que desenvolvem uma relação de segurança têm personalidade saudável, estruturada. A imagem que elas têm de si é de que são competentes e dignas de amor. Quanto elas sentem que alguém cofia nelas, elas confiam em si.

Apego ansioso ambivalente
É muito comum com o primeiro filho, quando os pais são inseguros e não sabem o que é adequado ou inadequado. Essa insegurança dos pais faz com a criança fique desconfiada. Ela apresenta uma exploração mais cautelosa, fica perturbada quando é separada da mãe ou se incomoda quando alguém tenta confortá-la. Essa “rejeição” também ocorre quando a mãe volta, é uma forma de punir essa mãe que se afastou. Na maioria das vezes acaba desenvolvendo uma certo apego ao objeto de amor. Ela é muito vulnerável ao estresse, é altamente reativa e evita contato com ambientes diferentes.

Apego evitativo/desligado
São pais negligentes e que rejeitam. A criança fica o tempo inteiro pedindo suporte, cuidado e proteção, mas os pais não visualizam essas necessidades. Dão o básico, mas não dão amor e atenção. São chamados de pais funcionais, não estimulam o desenvolvimento da criança. Por não se sentir amada e respeitada e por não ter as suas necessidades emocionais atendidas, essa criança tende a se tornar um indivíduo distante emocionalmente, indiferente. Geralmente tornam-se antissociais e evitam qualquer relação afetiva.

Apego inseguro
Os pais têm dificuldade de criar minimamente um vínculo, em muitos casos são esquizofrênicos. A criança tem um comportamento confuso, apresenta padrões contraditórios. Ela quer ficar com os pais, mas não se sente acolhida. Essas crianças tornam-se adultos que não se sentem dignos do amor dos outros e não confiam nas intenções das pessoas.